Ione Maria vem do bairro Vila Albertina, região norte de SP. Sua arte acontece como uma extensão de muitos experimentos dentro do campo artístico de corpo e imagem. Aos 23 anos, sua presença como artista vem da necessidade de fala e observação com os seus. Começou nas artes visuais há 4 anos, transitou pelo audiovisual com o coletivo Nós, Madalenas e atualmente é designer e colagista independente.

Em seus trabalhos, o diálogo se apresenta através da cultura popular periférica, indígena e feminilidades. Ela entende que contatos reais possibilitam trabalhos singulares, onde pessoas do seu ciclo protagonizam suas obras através de fotografias, também produzidas pela artista. Em sua última exposição coletiva, SOMA, apresentou uma produção em parceria com seu primo, Guilherme, de 9 anos, onde duas obras revelavam ligações diretas com suas culturas.
Na série REALEZAS, busca desconstruir a ideia da estética negra única. São figuras majestosas em estado de dignidade real e beleza. A natureza, mais uma vez presente, aparece aqui para reforçar relações essenciais de vidas. Mais que interpretações específicas, a colagista acredita na identificação das pessoas em boas histórias.
“Eu quero estar em espaços onde minha narrativa seja parte de caminhos. Pessoas grandiosas me cercam, e transbordar referências para os meus tem sido um dos desafios com a arte. Fé na juventude e nas crianças, que nos vejamos capazes de dominar sistemas. Minha utopia é equidade de condição e minha realidade é pensar/agir nesse acesso. É o que acredito.”

 

Mais colagens da Ione no Instagram.

 

Siga a DAIMAG no Instagram e no Facebook e envie seu trabalho para a revista.