Alice Guél, rapper do interior de São Paulo, relata através de sua arte e suas vivências como travesti, negra, periférica no país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Traz à tona os desafios encontrados em sua vida, qualifica e pluraliza também todo um conjunto de pessoas que se reconhecem como pertencentes à população trans/travesti. Fala sobre afeto, luta, e as batalhas necessárias para que os referenciais de divindade sejam revistos, TRANSvistos, transgredidos e compreendidos na essência. Sua expressão é, acima de tudo, uma poderosa mensagem sobre amor e respeito.
“Estou numa fase da construção da minha corpa artista importante ao ver, entendo agora depois de mais de 2 anos cantando e louvando o poder das palavras, de como a música, o som é própria corpa quando livre pode mover montanhas.
Agora entendo que posso caminhar por onde for pois a deusa travesti e minhas irmãs transvestigêneres de coração e fé estarão comigo.”

Trava Bizness é a primeira gravadora focada em artistas trans, onde todo o trabalho é desenvolvido de forma independente por corpos transvestigêneres, buscando através da música o fortalecimento, autonomia, resistência e visibilidade dessa comunidade. A gravadora desenvolve o trabalho de produção musical, consultoria e distribuição, além de produção de conteúdo audiovisual.

Idealizada pela produtora e musicista Malka, com Nu Abe na produção audiovisual, atualmente a gravadora produz artistas como Alice Guél, a dupla PamkaPauli, (slams Marginália e Batalha Dominação), Veni (Animalia), Jupiter (Rap Plus Size), Rosa Luz (youtuber no Barraco da Rosa), Albert Magno, Natt Maat, Kaique Theodoro, Cecilia Dellacroix, Rafa Bebiano, Valeria Houston e Veronica Valentino.

Siga a DAIMAG/SEMEDO e veja seu trabalho na revista, colabore.